Categoria Orientações

Dica de 7 livros paradidáticos sobre bullying, diferenças e diversidade

Dica de 7 livros paradidáticos sobre bullying, diferenças e diversidade

Estou postando uma dica de alguns livros (7) que tive contato, como sugestão para serem trabalhados com alunos do fundamental I e II.  Fiz a leitura dos mesmos, já trabalhei em formações, com alunos, com professores e coordenadores. Os livros são ótimos.

1- Laís, a fofinha, de Walcyr Carrasco ( Achei Lindo)

Apelidos horríveis, risadas, humilhações: Laís precisa enfrentar tudo isso na nova escola. De tanto as outras crianças a chamarem de gorda, a menina acaba acreditando que é feia. Envergonhada, ela se fecha em sua tristeza. Quando as meninas da escola espalham a notícia de que farão testes para selecionar uma menina para fazer uma novela, Laís fica ainda mais preocupada. Seu grande sonho é ser atriz e, para concretizar esse desejo, ela precisará decidir entre o medo e a coragem de ser como é.

2- Pinote Fracote, Janjão o Fortão, de Fernanda Lopes Almeida

( Surpreendente)

Janjão era o valentão da turma, mas não imaginava que um menino pequeno como Pinote fosse capaz de derrotá-lo. Para enfrentar as truculências de Janjão, Pinote usa o poder da inteligência. Será que vai dar certo?

 3- Bullying: Vamos sair dessa?, de Miriam Portela (Adorei!)

Na periferia e nos bairros de classe média, o bullying cresce como uma praga. Uns são marginalizados por serem “mais inteligentes”, outros por serem mais fracos, mais gordos, mais magros, mais ricos, mais pobres.

4 – Tem um garoto no banheiro das meninas, de Louis Sachar – Editora Record – 2006 (Formidável)

 

Todos evitam sentar perto de Bradley Chlakers na sala de aula. Ele é brigão, faz brincadeiras de mau gosto e ameaça bater até nas meninas! Nem mesmo sua professora agüenta mais seu péssimo comportamento. Ele não faz dever de casa, só tira notas baixas, já repetiu de série e tem uma imaginação muito fértil para contar mentiras. Quando um novo aluno entra na escola e se oferece para ser seu amigo, Bradley não consegue acreditar que alguém possa gostar dele. Mas, em pouco tempo, seu comportamento hostil acaba por afastar seu novo amigo, o que só acaba diminuindo sua auto-estima. Seu desempenho nas aulas também acaba levando-o para a sala da nova orientadora da escola, uma jovem dinâmica, carinhosa, competente e engraçada. Ela acha Bradley um menino inteligente e generoso e sabe que ele poderia mudar se ao menos não tivesse medo de tentar. Algumas vezes, o mais difícil é acreditar em si mesmo…

5 – O Diário de Davi: preconceito racial, homofobia e bullying na escola, de Silvano Sulzart ( Sou suspeito)

 

O livro O Diário de Davi: preconceito racial, homofobia e bullying na escola – aborda o bullying, a obesidade infantil, o preconceito racial, o cyberbullying, o bullying homofóbico e a inclusão escolar, de forma objetiva, tomando como base a Lei 13.185, que institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (bullying), em todo o território nacional. Davi, em uma narrativa envolvente e singela, conta suas dores e dilemas. A história revelará como a amizade vence o medo, e a ternura e o perdão fazem brotar esperança, sonhos e novas relações, no espaço escolar. Através da leitura deste livro, você será capaz de identificar se seus filhos ou alunos estão sendo vítimas de bullying, encontrará ainda pistas de como combater o bullying, dentro e fora do espaço escolar.

6 – Bruno e João, de Jean-Claude Ramos Alphen ( Muito Bom!)

Bruno é grande, alto e robusto. Já João é magro e baixo. Apesar das diferenças físicas dos dois, sua força está no mesmo lugar: o afeto. O livro, de autoria do escritor franco-brasileiro Jean-Claude Ramos Alphen, conta a história de uma amizade que se sustenta pelo desejo de proteção de quem se gosta. Sensível e divertido,  “Bruno e João” suscita uma reflexão sobre a potência da amizade na resolução de conflitos internos da criança, ou seja, de como a identificação pelo outro ajuda os pequenos entenderem seus próprios medos e inseguranças.

7 – A terra dos meninos pelados – Graciliano Ramos ( lindo)

Em um lugar onde todos eram iguais, havia um menino diferente. Com a maestria literária de quem criou Vidas Secas, Graciliano Ramos conta aqui a história de Raimundo tinha o olho direito preto, o esquerdo azul e a cabeça pelada. Pelo olhar enviesado dos outros, o menino era uma aberração e nunca falava coisa com coisa. Porém, sozinho em sua imaginação de criança, o menino criava mundos maravilhosos e desenhava em sua cabeça o deu desejo de um dia encontrar um lugar ao qual pudesse pertencer.

 

Prova Brasil (2017) será aplicada em Outubro e Novembro. Como estão os alunos da sua escola e de seu município?

Prova Brasil (2017) será aplicada em Outubro e Novembro. Como estão os alunos da sua escola e de seu município?

A Prova Brasil, que pela primeira vez vai englobar os alunos do ensino médio da rede privada, será aplicada entre os dias 23 de outubro e 3 de novembro nas escolas brasileiras seguindo algumas regras.

A Prova Brasil avalia os conhecimentos dos alunos em matemática e língua portuguesa. O resultado do desempenho é um dos elementos que compõem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), calculado por escola, por município e por estado.

Nesta edição a prova será aplicada seguindo as seguintes regras:

– escolas públicas localizadas em zonas urbanas e rurais que tenham dez ou mais alunos matriculados em cada uma das etapas de 5º e 9º anos (4ª e 8ª séries) do ensino fundamental;

– escolas públicas localizadas em zonas urbanas e rurais que tenham pelo menos dez alunos matriculados em cada uma das etapas de 3ª ou 4ª série do ensino médio, quando essa última for a série de conclusão do ensino médio;

– uma amostra de escolas privadas localizadas em zonas urbanas e rurais que tenham pelo menos 10 alunos matriculados em cada uma das etapas de 5º e 9º anos (4ª e 8ª séries) do ensino fundamental e de 3ª ou 4ª séries do ensino médio, quando essa última for a série de conclusão do ensino médio, distribuídas nas 27 unidades da Federação;

– mediante adesão, escolas privadas localizadas em zonas urbanas e rurais que tenham pelo menos dez alunos matriculados na 3ª série ou na 4ª série do ensino médio, quando essa última for a série de conclusão do ensino médio.

Sistema nacional de avaliação

A Prova Brasil é um dos dois elementos que compõem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb): o cálculo do Ideb é feito usando os resultados da prova e informações sobre a aprovação ou repetência dos estudantes.

Essa prova faz parte da Avaliação Nacional da Educação Básica (Aneb), uma das três avaliações que integram o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

Até hoje, porém, apenas as edições da Prova Brasil do ensino fundamental eram aplicadas de forma censitária, ou seja, para todos os estudantes do 5º e do 9º ano do fundamental.

Como resultado, no Saeb 2015, 3.986.190 estudantes participaram da prova: 2.071.581 do 5º ano do fundamental, 1.842.034 do 9º ano do fundamental, e apenas 72.575 estudantes do 3º ano do ensino médio.

Além disso, 38.155 escolas públicas tiveram os dados divulgados para o 5º ano do fundamental, e 29.620 escolas públicas receberam os resultados para o 9º ano.

Já no ensino médio, os resultados foram divugados apenas em nível estadual e nacional.

Com a mudança, o Inep estima que 2,4 milhões de estudantes do 3º ano do ensino médio, tanto de escolas públicas quanto privadas, participem da Prova Brasil.

No total, o governo prevê que cerca de 7,5 milhões de estudantes façam as provas.

Fonte: Ministério da Educação

Jogo Baleia Azul? O que é mesmo? Um ‘fake news’.

Jogo Baleia Azul? O que é mesmo? Um ‘fake news’.Vamos Jogar?


O jogo da ‘Baleia Azul‘, é um jogo que propõe 50 desafios aos jogadores, em sua maioria adolescentes, nasceu na Rússia como ‘fake news’, mas existe um efeito que sendo verdadeira ou não, a notícia gera um contágio, principalmente entre os jovens, afirmou  Tavares da Safernet ao G1. Um jogo falso, uma noticia falsa, que vai ganhando repercussão. Uma mentira que vai viralizando, chegando ao ponto de tornar-se verdade.

Todo Jovem e adolescente adora desafios. A alma e o espírito dos jovens, aspiram desafios e novidades. E com as novas tecnologias e as redes sociais, tudo viraliza e ninguém quer ficar de fora. O Facebook tornou-se uma rede que viraliza as informações. É justamente, neste ponto que esta moda vira algo perigoso.

O jogo da ‘Baleia Azul‘ é um jogo de desafios, propõe 50 desafios. E um deles, pasmem sugere o suicídio como última etapa. O jovem e adolescente fica envolvido, com musicas e orientações. Vai sendo induzido a jogar, a participar, a passar por cada desafio, a enfrentar cada dificuldade. Vai criando expectativa e entusiasmo. Vai se envolvendo letamente. Se sentindo seguro e confiante para ir além.

Alguém, com intenções desumanas, aproveitou a onda de mentiras de um jogo que não existia, deu vida e forma ao jogo de qualquer maneira. Criou regras e desafios. E hoje já existem várias versões do Jogo em diferentes países do Mundo.

Segundo o Site G1, há investigações policiais pelo menos três estados, sendo que em uma delas, em Mato Grosso, há uma morte envolvida. No Rio de Janeiro, uma tentativa de suicídio supostamente teria relação com o jogo. Na Paraíba, a polícia já apura a participação de alunos de uma escola em João Pessoa de um grupo no WhatsApp disseminando as regras do desafio.

Então vou propor a Baleia Azul do Bem, positiva, para a vida, para o amor, para a paz  !

Faça a sua vida valer a pena. Ame de verdade. Faça o bem. Siga as regras e os jogos para viver e sonhar.

  • Então vou propor o Jogo da Baleia Azul do Bem, para o amor, para os valores humanos e para a paz ! E ai vamos Jogar? E quais seriam os 50 desafios deste Jogo?

Lições importantes para vencer e superar o Bullying

Bullying é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas. Davi, personagem no meu livro, O Diário de Davi, aprendeu a vencer e superar o bullying. Sua coragem em denunciar os agressores, e a amizade com Telton Fradf e João foram importantes. Nunca pense que você esta sozinho.

Uma criança e/ou adolescentes vitimas de bullying podem apresentar:

  • Dificuldade de relacionamentos na escola e em casa;
  • Dificuldade de aprendizagem e concentração;
  • Tensão muscular, ansiedade, depressão;
  • Anorexia e bulimia;
  • Formigamentos pelo corpo, taquicardia e insônia, frequentemente;
  • Medo de sair de casa e de multidão;
  • Medo de ir para a escola;
  • Suicídio;
  • Isolamento;
  • Ansiedade;

 

Se você esta sendo vitima de bullying, tome as seguintes decisões. Não tenha medo! Busque ajuda.

  • Busque conversar com seu pai e a sua mãe, primeiramente. Fale assim que as agressões ou insultos começarem.
  • Fale também com outras pessoas: avó, avô, tio, tia, amigos, padrinho, madrinha, e outros adultos.
  • Fale com os professores da sua escola, com os funcionários, com a coordenação, a direção da escola.
  • Não fique calado, conte o que está acontecendo: as agressões físicas, verbais. Ciberbullying e bullying homofóbico.
  • Não guarde segredos sobre o bullying. Mesmo que seja difícil, procure ajuda.
  • Evite ter amizades com quem pratica o bullying. Amizade é importante.
  • Evite conversar com o agressor, sozinho. Não revide a violência, denuncie, procure ajuda.
  • A ajuda de um adulto é importante. Procure ajuda, sempre.

 

Fonte:  O Diário de Davi:preconceito Racial, homofobia e bullying na Escola

Adquira já o seu livro:  Editora CRV

Como elaborar um memorial acadêmico:

Como elaborar um memorial acadêmico: Dicas e Orientações

ORIENTAÇÕES PARA COMPOSIÇÃO DO MEMORIAL DESCRITIVO

O Memorial Descritivo é uma autobiografia que descreve, analisa e critica acontecimentos sobre a trajetória acadêmico-profissional e intelectual do candidato, avaliando cada etapa de sua experiência.Recomenda-se que o memorial inclua em sua estrutura seções que destaquem as informações mais significativas, como a formação, as atividades técnico-científicas e artístico-culturais, as atividades docentes, as atividades de administração, a produção científica, entre outras.O texto deve ser redigido na primeira pessoa do singular, o que permitirá ao candidato enfatizar o mérito de suas realizações.
Sugestão de Estrutura do Memorial

  1. Folha de rosto
  2. a) nome do candidato
  3. b) título (Memorial Descritivo)
  4. c) local
  5. d) ano
  6. Formação, aperfeiçoamento e atualização

Na descrição, mencionar:

  1. a) educação superior – graduação
  2. b) educação superior – pós-graduação
  3. c) estágios
  4. d) cursos de extensão
  5. e) iniciação científica e monitoria
  6. f) bolsas de estudo
  7. g) participação em congressos, simpósios, seminários e outros eventos congêneres

Deve-se inserir comentários sobre como decorrem os cursos de formação, de aperfeiçoamento e de atualização, assim como o resultado final e também os reflexos na carreira profissional, docente, científica, literária e/ou artística do candidato.

  1. Atividades docentes

As atividades docentes referem-se às funções desenvolvidas no ensino e na orientação de estudantes. Na descrição, mencionar:

  1. a) aulas e cursos ministrados (especificar em que disciplinas)
  2. b) orientações de trabalhos de alunos (Feiras de Ciências, das Profissões, entre outros eventos), trabalhos de conclusão de cursos, de estágios e/ou de bolsistas
  3. c) palestras e/ou conferências proferidas
  1. Atividades de administração

Indicar outras atividades profissionais que não se enquadrem nas modalidades anteriores:

  1. a) participação em comissões, coordenações, supervisões de trabalhos e/ou projetos
  2. b) participações em conselhos, em comitês e/ou júri de prêmios entre outros
  3. c) participações em órgãos colegiados, comitês executivos, grupos de trabalhos, entre outros
  4. d) consultorias
  5. e) funções eletivas, inclusive diretorias, conselhos de entidades (profissionais e/ou sindicais) indicando função exercida, inclusive de chefia, coordenação, direção com o respectivo tempo de mandato
  6. Títulos, homenagens e aprovações em concursos

Mencionar o ano e a distinção outorgada e o local.

  1. Produção científica, literária e artística.

Incluir trabalhos científicos, literários e/ou artísticos que tenham sido publicados, assim como trabalhos apresentados em congressos, jornadas e outros eventos similares.
Obs: Para a Formatação do texto siga as regras da ABNT

Fonte: FUNDAÇÃO EDSON QUEIROZ UNIVERSIDADE DE FORTALEZA – UNIFOR


Caso deseje melhores explicações, pode solicitar via e-mail.
contatos@silvanozulzart.com.br