Arquivo mensal abril 2017

A Caixa Mágica das Coisas: uma atividade lúdica!

Faça com sua turma e me conte depois. Você precisa de uma caixa e vários objetos para por dentro da caixa. A dinâmica consiste na curiosidade, imaginação, criatividade dos alunos e também do professor. Super fácil e educativa, lúdica e provocadora da imaginação.

O melhor de tudo, é que temos aqui,  uma atividade que pode ser feita na alfabetização, nas aulas de geografia e outras disciplinas do fundamental II, nas aulas na faculdade para iniciar alguns assuntos e temas, e em formações e palestras.

Na caixa pode existir só “coisas” com a letra A. E eles (alunlos/participantes) precisam adivinhar o que é que tem dentro. Pode ter um Avião, Alicate, Anel, Anjo, Arroz, Anta, Amendoim ( coisas de brinquedo e de verdade). Depende da temática da aula/palestra/formação. E o objetivo.

A caixa pode aparecer nas aulas de matemática, geografia, história, português etc.

No primeiro momento fazemos a atividade lúdica de adivinhar, depois vamos para o trabalho pedagógico, centrado na disciplina e nos objetivos da aula.

A educação lúdica, na sua essência, além de contribuir e influenciar na formação da criança e do adolescente, possibilitando um crescimento sadio, um enriquecimento permanente, integra-se ao mais alto espírito de uma prática democrática enquanto investe em uma produção séria do conhecimento. A sua prática exige a participação franca, criativa, livre, crítica, promovendo a interação social e tendo em vista o forte compromisso de transformação e modificação do meio (ALMEIDA, 1994, p.41).

Que tal trabalhar a caixa como ditado? A caixa e a história dos objetos? A caixa e a produção de textos? A caixa e o valor/preço das coisas???? A caixa e o que utiliza-se em X profissão? E se um dia, um aluno montar a caixinha e trazer para a sala para os colegas adivinharem os seus objetivos?? O professor pode desafia a turma. A cada semana um aluno faz sua caixinha. E para facilitar tem que ter  objetivo.  Use sua criatividade e vamos lá!!!

Sorteio de livros para você!

Quer ganhar o meu livro O Diário de Davi: preconceito racial, homofobia e bullying na escola? Um livro lindo e emocionante.

O sorteio será no dia mundial do livro, dia 23 de abril.

Para concorrer, basta curtir a página do autor e professor Silvano Sulzart e compartilhar esta imagem da promoção e marcar um amigo nos comentários da imagem oficial.

Você pode também nos contar se já foi vítima de bullying, racismo, homofobia, lgbtfobia, gordofobia ou alguma outra forma de preconceito. Divida sua história conosco.

Anuúncio do sorteio !

O sorteio será realizado dia 23/04/2017 (domingo) e serão sorteados 5 exemplares do livro O Diário de Davi. Cada ganhador recebera um exemplar do livro. (COMPARTILHE A IMAGEM NA PAGINA DO AUTOR)

 

Jogo Baleia Azul? O que é mesmo? Um ‘fake news’.

Jogo Baleia Azul? O que é mesmo? Um ‘fake news’.Vamos Jogar?


O jogo da ‘Baleia Azul‘, é um jogo que propõe 50 desafios aos jogadores, em sua maioria adolescentes, nasceu na Rússia como ‘fake news’, mas existe um efeito que sendo verdadeira ou não, a notícia gera um contágio, principalmente entre os jovens, afirmou  Tavares da Safernet ao G1. Um jogo falso, uma noticia falsa, que vai ganhando repercussão. Uma mentira que vai viralizando, chegando ao ponto de tornar-se verdade.

Todo Jovem e adolescente adora desafios. A alma e o espírito dos jovens, aspiram desafios e novidades. E com as novas tecnologias e as redes sociais, tudo viraliza e ninguém quer ficar de fora. O Facebook tornou-se uma rede que viraliza as informações. É justamente, neste ponto que esta moda vira algo perigoso.

O jogo da ‘Baleia Azul‘ é um jogo de desafios, propõe 50 desafios. E um deles, pasmem sugere o suicídio como última etapa. O jovem e adolescente fica envolvido, com musicas e orientações. Vai sendo induzido a jogar, a participar, a passar por cada desafio, a enfrentar cada dificuldade. Vai criando expectativa e entusiasmo. Vai se envolvendo letamente. Se sentindo seguro e confiante para ir além.

Alguém, com intenções desumanas, aproveitou a onda de mentiras de um jogo que não existia, deu vida e forma ao jogo de qualquer maneira. Criou regras e desafios. E hoje já existem várias versões do Jogo em diferentes países do Mundo.

Segundo o Site G1, há investigações policiais pelo menos três estados, sendo que em uma delas, em Mato Grosso, há uma morte envolvida. No Rio de Janeiro, uma tentativa de suicídio supostamente teria relação com o jogo. Na Paraíba, a polícia já apura a participação de alunos de uma escola em João Pessoa de um grupo no WhatsApp disseminando as regras do desafio.

Então vou propor a Baleia Azul do Bem, positiva, para a vida, para o amor, para a paz  !

Faça a sua vida valer a pena. Ame de verdade. Faça o bem. Siga as regras e os jogos para viver e sonhar.

  • Então vou propor o Jogo da Baleia Azul do Bem, para o amor, para os valores humanos e para a paz ! E ai vamos Jogar? E quais seriam os 50 desafios deste Jogo?

Estamos invisíveis na literatura Infantil Brasileira:

Estamos invisíveis na literatura Infantil Brasileira

De que literatura infantil estão falando no dia Nacional do Livro de Literatura Infantil? Já sei! Estão falando de uma Literatura Infantil sexista, que apresenta e representa as diferenças de gêneros, mulher e homem tem lugar definido e espaços demarcados politicamente e socialmente, os grupos étnicos brasileiros, são representados como escravos, invasores e selvagens. Já as classes sociais, são colocadas como categorias distintas, ricos são donos de carros e lanchas e os podres, não são donos de nada.É isso?

Vejo na Literatura Infantil, que o homem branco tem destaque, veste-se bem, é representado com poder político, social e econômico. Aparece nas ilustrações como personagem principal, quase sempre e na maioria das vezes é o heroi. Até na dita História do Brasil é assim.

Falam de um livro de Literatura Infantil que não representa o povo negro, indígena, ribeirinhos e das comunidades periféricas das cidades.

Muito bom e lindo isso né. Estão falando de um livro de Literatura Infantil que apresenta a família típica constituída de um pai e uma mãe e, usualmente, dois filhos, um menino e uma menina. As famílias tradicionais. Para eles, os bons escritores, heteronormativos, só existem as famílias tradicionais. Onde estão as famílias formadas por qualquer um dos pais. Aquelas que só tem a mãe e os filhos e/ou o pai e os filhos. E as famílias sem pais, formada apenas por irmãos, não existem? Não as vejo nos livros didáticos nem na Lietarura Infantil, ou aparecem raramente.

E por onde andam os livros de Literatura Infantil que de fato nos representará? Que fale do povo negro, como povo forte e guerreiro, povo rico em cultura e tradições, com uma religião linda. Que o negro seja protagonista, heroi, personagem principal. Destaque na capa do livro e nas ilustrações. Estão onde? Invisibilizados. Escritos com uma tiragem minima de 100 livros, para meia dúzias de pessoas lerem. Estão na resistencia literária, sobrevivendo a sutileza da indiferença.

Ei! Você viu algum livro que traga a mulher, mãe, avó, menina, mulher transsexual, não só a mulher branca, mas todas as mulheres, como protagonistas, como mulher forte, em destaque, com coragem e força. Ali, bem na capa.A mulher negra gorda, a mulher indigena, a mulher trabalhadora, como heroina da história? Mulher arquiteta, enegenheira, empoderada, mulher rainha, astronalta, dona de um pequeno/grande mundo? Se viu … parabéns …que foi publicado …maravilha …

E por onde andam, a população LGBT nos livros de literatura infantil? E existe ?? Existe livros de Literatura Infantil com famílias homoafetivas? Há! Lembre! Estão invisibilizadas. Essa população não existe não é? A heteronormatividade, “fabrica” modos e representações sutis do mundo. E de forma sutil, a cultura hegemônica vai invisibilizando as diferenças.

Precisamos de um dia da Literatura Infantil, que seja diverso, que agregue e valorize a nossa diversidade cultural, étnica e de gênero. Livros com personagens trans, LGBTs, negros em destaque. Com personagens negros como príncipes e pincesas, com personagens transexuais (homems e mulhers) como Reis e Rainhas.

E como nos diz Guacira Louro, a escola foi concebida inicialmente para acolher alguns — mas não todos — ela foi, lentamente, sendo requisitada por aqueles/as aos/às quais havia sido negada. Os novos grupos foram trazendo transformações à instituição. Ela precisou ser diversa: organização, currículos, prédios, docentes, regulamentos, avaliações iriam, explícita ou implicitamente, “garantir” — e também produzir — as diferenças entre os sujeitos. (LOURO, p75).

Então é necessário que nos perguntemos, que tipo de livro de Literatura queremos? Que tipo de escola desejamos, e irmos além , como se produziram e se produzem tais diferenças e invisibilidades na escola e nos livros e que efeitos estes processos têm sobre nós, população negra, indígena, mulher, homem e LGBT? Que efeito tem este processo de invisibilização. Em nós e em nossos corpos, memórias e vidas.

ENEM, Prova Brasil e outros exames e avaliações:

ENEM, Prova Brasil e outros exames e avaliações serão alterados pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) vai orientar as matrizes de referência dos exames e avaliações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Além disso, servirá para reformular a formação de docentes. O documento – que será referência obrigatória para a elaboração dos currículos de educação básica – foi entregue pelo Ministério da Educação ao Conselho Nacional de Educação (CNE) na manhã desta quinta-feira, 6.

As mudanças nas matrizes de referência do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) passam a valer a partir de 2019. “Quem manda na avaliação é o currículo. Com o impacto da BNCC nos currículos, todas as matrizes também serão adequadas”, explica a presidente do Inep, Maria Inês Fini, que integrou o comitê gestor da Base.

A BNCC estabelece conteúdos essenciais e competências que as crianças e adolescentes deverão desenvolver na educação básica. O documento atual trata exclusivamente da educação infantil e do ensino fundamental; a parte referente ao ensino médio será apresentada nos próximos meses.

Com a entrega da versão final, o CNE deve debater e elaborar parecer e projeto de resolução sobre a Base, que só entrará em vigor depois que a manifestação do conselho for homologada pelo Ministério da Educação.

Fonte: Ministério da Educação

Lições importantes para vencer e superar o Bullying

Bullying é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas. Davi, personagem no meu livro, O Diário de Davi, aprendeu a vencer e superar o bullying. Sua coragem em denunciar os agressores, e a amizade com Telton Fradf e João foram importantes. Nunca pense que você esta sozinho.

Uma criança e/ou adolescentes vitimas de bullying podem apresentar:

  • Dificuldade de relacionamentos na escola e em casa;
  • Dificuldade de aprendizagem e concentração;
  • Tensão muscular, ansiedade, depressão;
  • Anorexia e bulimia;
  • Formigamentos pelo corpo, taquicardia e insônia, frequentemente;
  • Medo de sair de casa e de multidão;
  • Medo de ir para a escola;
  • Suicídio;
  • Isolamento;
  • Ansiedade;

 

Se você esta sendo vitima de bullying, tome as seguintes decisões. Não tenha medo! Busque ajuda.

  • Busque conversar com seu pai e a sua mãe, primeiramente. Fale assim que as agressões ou insultos começarem.
  • Fale também com outras pessoas: avó, avô, tio, tia, amigos, padrinho, madrinha, e outros adultos.
  • Fale com os professores da sua escola, com os funcionários, com a coordenação, a direção da escola.
  • Não fique calado, conte o que está acontecendo: as agressões físicas, verbais. Ciberbullying e bullying homofóbico.
  • Não guarde segredos sobre o bullying. Mesmo que seja difícil, procure ajuda.
  • Evite ter amizades com quem pratica o bullying. Amizade é importante.
  • Evite conversar com o agressor, sozinho. Não revide a violência, denuncie, procure ajuda.
  • A ajuda de um adulto é importante. Procure ajuda, sempre.

 

Fonte:  O Diário de Davi:preconceito Racial, homofobia e bullying na Escola

Adquira já o seu livro:  Editora CRV

Filme A Cabana: lições importantes!

“Por que este fato foi acontecer comigo? O que fiz para merecê-lo? O que poderia ter feito para evitá-lo? Onde Você (Deus) estava nesta hora?” 

 

Se você não fez a leitura do livro A Cabana, vai se encantar pelo filme. Durante uma viagem em um fim de semana, a filha mais nova de Mack Allen Phillips é raptada. Há evidências de que ela foi brutalmente assassinada em uma cabana abandonada. Após quatro anos vivendo muito triste, causada pela culpa e pela saudade da menina, Mack recebe um bilhete estranho, que teria sido escrito por Deus, convidando-o para voltar à cabana onde aconteceu a tragédia. Um filme leve, lindo, inspirador! Emocionante!

Primeira lição: Tenha Fé !

Ao perder a filha caçula e achar que o Deus em que ele acredita não fez nada para evitar que ela morresse, Mackenzie abandona sua fé e se entrega à tristeza. Durante o encontro com a trindade divina, Mack confronta Deus por permitir tamanho sofrimento e acaba se deparando com uma resposta reveladora de “Papai”: “Quando tudo o que conseguimos ver é só a nossa dor, acabamos deixando de ver Deus”.

Segunda Lição: Perdoe!

Amargurado, Mack se fecha emocionalmente e acaba se distanciando das pessoas que ama. No filme, em uma conversa com o Espírito Santo, ele demonstra toda sua ira ao dizer que deseja que o assassino de sua filha sofra, assim como ele sofreu, até que, com a ajuda de Deus, toma coragem para perdoar o agressor de Missy e se livrar desse sentimento que o consumia.

Terceira Lição: Fale o que sente!

Diferentemente de sua esposa Nan, interpretada por Radha Mitchell, que se apoiou na fé, na família e enfrentou corajosamente o sofrimento pela perda da filha, Mack escolheu mascarar a dor e se isolar. Beirando a depressão, o personagem recusou toda oferta de ajuda e aproximação dos amigos e da esposa e, consequentemente, criou um abismo enorme entre ele e os filhos, tudo isso, até receber o bilhete endereçado por Deus.

Quarta lição: corra ao cinema para assistir ao filme kkkkkk